Notícias de fato

Jornalismo feito por um time de primeira

Brasília: capital da leitura

Posted by Da Redação em 1 de novembro de 2008

Por Graciliano Cândido

Inúmeros os projetos que valorizam a cultura do Distrito Federal. Um deles foi a 27º Feira do livro. O evento reuniu palestras, jornadas, oficinas e café literário onde os visitantes tiveram o contato direto com grandes autores. Confira a Entrevista – Thelmo Martins produtor da 27º Feira do Livro

Graciliano Cândido

Foto: Graciliano Cândido

 A abertura da feira estava com várias autoridades e políticos locais. O Ministro da Cultura Juca Ferreira divulgou que o governo retirou os impostos federais sobre os livros. Muitas pessoas ainda não sentiram essa redução, mas conforme informado pelo Ministro, o Governo Federal está cobrando das bibliotecas e livrarias para que essa norma seja cumprida.

Para os estudantes da rede pública a Secretaria de Educação lançou o cartão Ler é legal. O Secretário de Educação José Luiz da Silva Valente explicou que com o cartão, os estudantes poderão escolher os livros e compra-los com mais facilidade. “O estudante escolhe o livro juntamente com o professor e depois leva para a biblioteca”, salientou.

A organização da Feira informou que mais de 500 mil passaram pelo espaço nos dez dias de evento. Mais informações acesse o site da Câmara do Livro: www.camaradolivrodf.com.br

 

O açougue Cultural T-Bone também é possível ter acesso há um grande acervo de livros. O projeto idealizado pelo empresário Luiz Amorim, proprietário do Açougue T-Bone inovou e criou uma biblioteca. Ouça a entrevista feita com o idealizador do projeto sobre como surgiu a idéia.

 

O açougue sempre promove manifestações culturais, como lançamento de livros, shows com grandes nomes da música popular brasileira.

Outro projeto idealizado pelo empresário é  “paradas culturais, a biblioteca popular 24 horas”. Ao longo da Asa Norte são 35 paradas de ônibus que dispõem de livros. Enquanto as pessoas esperam os ônibus, vão as prateleiras e pegam um dos livros dispostos.

Como é o caso da estudante Aline Yokoyama (foto) que usa os livros para distrair. Ela diz que quando o livro é bom prefere ler no caminho para casa. “Aproveito o momento da viagem para distrair com a leitura”, observa Aline. Luiz Amorim diz que o índice de devolução dos livros é grande. Ele avalia que as pessoas têm a concepção de que outros podem ler o mesmo livro.

David Viegas

Foto: David Viegas

A organização conta ainda com uma biblioteca central na qual é possível ter acesso a mais de 45 mil livros no acervo.

Veja mais informações da organização em: www.t-bone.org.br

O Metrô-DF também possui um projeto de incentivo à leitura. É a mala do livro que está presente nas estações: Central, 108 Sul, Guariroba, Praça do Relógio e Águas Claras. Dentre as estações citadas, têm algumas com ponto de leitura temáticos. Em Ceilândia, pelo grande número de imigrantes do nordeste o cordel é destaque. Já nas estações da Asa Sul os escritores da cidade são privilegiados, tendo um acervo dedicado a eles.

O acervo é variado, vai desde literatura infantil até livros de língua estrangeira. De acordo com a Assessoria do Metrô-DF o acervo chega a 500 mil exemplares.

Para participar do projeto, basta visitar uma das estações em seu horário de funcionamento.

3 Respostas to “Brasília: capital da leitura”

  1. Ana Paula said

    Então, o projeto do Luiz é uma prova de projeto apoiado por uma grande empresa que não se deixou “vender”. Diferente de outros projetos como que acabaram se deixando levar pelo comercial, quando na verdade deveria permanecer com aquela cara de alternativo ou independete (como já ouvi reclamações sobre o Porão do Rock e o FMI, este último nem conseguiu apoio e não teve sua edição de 2008)

    Curtir

  2. Fran Magalhães said

    Taguatinga foi a primeira cidade satélite a ser fundada mesmo antes de Brasília e a primeira cidade satélite em possui uma Academia de letras no DF: Academia Taguatinguense de Letras.(ATL). Seus idealizadores foram Leão Sombra do Norte Fontes, Nara do Nascimento e Silva Idelbrando David de Souza,Hilda Mendonça,Joanir de Oliveira, Isaías Passos de alves, Francisco Bento, João Carlos Aglaia Souza e vários convidados, dentre poetas e escritores. A Academia foi fundada em 1986. Os idealizadores e Acadêmicos lutam por uma Sede própria. O atual presidente da Academia é o Senhor Ronaldo Alves Mousinho.Taguatinga pode serconsiderada a cidade da Poesia pois temos vários poetas e escritores na cidade. dentre eles Gustavo Dourado, J. Simões, Newton Rossi já falecido etc. A ATL tem vários projetos de incentivo a leitura. A Academia foi e é um marco na História de Taguatinga e devemos valorizar o que temos na cidade. A Taguatinga foi musa inspiradora e personagem principal de vários versos dos Acadêmicos da ATL. Enfim analisei as poesias e percebi que as poesias espelham a História da cidade, o amor,a cultura, as realizações, as lutas, os problemas e os sonhos. Os autores são “mortais” mas as suas obras e as suas contribuições são imortais para a humanidade.

    Artigo (TCC)
    Francisca Magalhães P. Coimbra
    Orientadora: Euda Raposo
    Curso de Licenciatura em História

    Curtir

  3. Fran Magalhães said

    Parabéns pelo Blog de notícias! pois é um incentivo a leitura, as informações, ao conhecimento e aos eventos culturais existentes na cidade. Como historiadora valorizo os Patrimônios históricos, a memória e a História.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: