Notícias de fato

Jornalismo feito por um time de primeira

Incidência de Diabetes cresce descontroladamente em todo o país

Posted by Da Redação em 10 de janeiro de 2011

Por Graciliano Cândido

Flaviene aconselha alimentação balanceada para o controle da diabetes (Foto: Graciliano Cândido)

Flaviene aconselha alimentação balanceada para o controle da diabetes (Foto: Graciliano Cândido)

De acordo com o último estudo divulgado pela Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas) do Ministério da Saúde, em 2008 o Brasil apresentou 5,3% de casos na população, isso representa sete milhões e meio de portadores de diabetes auto-referido maiores de 18 anos, ou seja, pessoas que sabem que tem a doença. Estima-se que 10% desse total sejam de diabetes tipo 1 e os 90% restantes do tipo 2.

No Distrito Federal, cerca de 115 mil pessoas são portadoras da doença (4,4% da população do DF). A alimentação errônea e a obesidade estão muito ligadas ao surgimento da doença nas pessoas. Enquanto na década de 1970 e 1980 o diabetes surgia em pessoas adultas, atualmente, o diagnóstico tem sido feito até mesmo em crianças.

Um ponto alarmante é que a incidência de diabetes vem aumentando drasticamente em todo país e no mundo. Dados do IDF (Internacional Diabetes Federation) projetam um aumento de 100% nos casos de Diabetes Tipo 2 no ano de 2025, no Brasil, fato que podemos extrapolar para nossa cidade. Além disso, uma grande parcela dos pacientes diabéticos não sabem que tem a doença, pois o diagnóstico pode ser postergado em até 7 anos.

A Supervisora da Residência Médica de Endocrinologia e Metabologia do Hospital Regional de Taguatinga (HRT) Dra. Flaviene Prado, diz que o motivo maior do diabetes aparecer mais precocemente são os hábitos alimentares inadequados, sedentarismo, uso de corticóides, além da obesidade. “Hoje em dia a rotina é diferente, e infelizmente as pessoas consomem muito fast food (comidas rápidas)”, salienta Dra Flaviene.

Sintomas

Tipo 1: Maior incidência em pessoas jovens e magras. É comum a pessoa sentir muita sede, necessidade de urinar várias vezes e emagrecimento rápido.

Tipo 2: Pessoas obesas e sedentárias estão mais vulneráveis de adquirirem a doença.

A médica, explica que é uma doença assintomática, ou seja, a pessoa não sente nada. Ela recomenda fazer acompanhamento a cada dois anos, para as pessoas sem fatores de risco ou fazer o teste oral de tolerância a glicose, mais conhecido como TOTG, para aquelas com algum ou mais fatores de risco.

Quem pode adquirir diabetes tipo 2 – Fatores de risco

– Obesos

– Sedentários

– Mulheres que tiveram diabetes gestacional

– Mulheres com síndrome de ovários policístico

– Mães e filhos que foram grandes para a idade gestacional

– Histórico familiar

– Idade avançada: acima dos 60 anos

-Hipertensão arterial sistêmica

– Triglicerídeos elevados e HDL (colesterol bom) baixo

Quando a doença está com níveis elevados provoca sérios problemas para os órgãos da pessoa. Pode levar a alteração da retina, rins e até das artérias, levando a danos irreversíveis, como cegueira, insuficiência renal com hemodiálise e infarto do coração. “Precisamos voltar aos hábitos saudáveis alimentares de antigamente, consumindo mais frutas, legumes e verduras e realizar atividade física regularmente”, sugere a médica.

As mulheres, em período gestacional, que nunca tiveram a doença, também podem adquirir, isso acontece em 14% dos casos. É causado pela associação de fatores de risco,  e pela ação dos hormônios contrarreguladores(que fazem aumentar a glicose) que na gestação estão em maior atividade.

Veja o vídeo ilustrativo sobre a doença

Prevenção do diabetes

– Praticar atividade física regularmente

– Manter o peso saudável

– Alimentação saudável

– Diminuir o consumo de gorduras e carboidratos

– Não fumar

Hospital de referência

Atualmente, o hospital de referência no tratamento de diabetes é o HRT – Hospital Regional de Taguatinga. Entre janeiro a setembro de 2009, segundo dados da Secretaria de Saúde, o HRT realizou mais de 7800 consultas endocrinológicas, e em todo o DF quase 40 mil no mesmo período. A equipe de endocrinologistas do hospital chega a 12 e está divida para atender aos seis ambulatórios especializados para diabéticos.

Ambulatórios do HRT para o tratamento de diabéticos

– Síndrome metabólica (triglicerídeo elevado, alteração na glicose, hipertensão, HDL baixo)

– Neuropatia e pé-diabético (feridas dos pés)

– Disfunção erétil (ocorre até nos jovens)

– Diabetes tipo 1

– Diabetes tipo 2

– Diabetes gestacional

Saiba mais: www.diabetes.org.br

Há duas décadas lutando contra a doença

José Barbosa: “Eu não sentia nada, por isso nunca havia procurado um médico” (Foto: Graciliano Cândido)

O aposentado José Barbosa da Silva, 65, fez parte durante muito tempo da população que desconhece ter o diabetes. O aposentado descobriu que era portador da doença por acaso. Há 20 anos atrás, sua esposa passou por uma cirurgia na coluna e precisou de doadores de sangue. Quando José Barbosa chegou ao banco de sangue e fez os exames de triagem recebeu a notícia de que não poderia doar, pois estava com a diabetes alta. “Eu não sentia nada, por isso nunca havia procurado um médico”, afirma o aposentado que é portador da diabetes tipo 1.

Depois que descobriu a doença, procurou um médico. No primeiro exame realizado, indicou que a diabetes estava 120, bem acima da média. A partir disso, ele cumpre uma dieta rigorosa com menos consumo de açúcar, carboidratos, gorduras. “Hoje em dia deixo de consumir doces, açúcar, massas e carboidratos para controlar a diabetes”, diz Barbosa.

Além do acompanhamento da dieta, toda semana vai ao Posto de Saúde Nº 01 do Guará para fazer o acompanhamento e a cada seis meses vai ao Clínico geral. Além disso, usa um medicamento duas vezes por dia. O remédio é adquirido pela rede pública e frequentemente falta na farmácia. “Quando não tem o remédio no Posto de Saúde, eles procuram substituir, mas tem vez que nem isso acontece e o jeito é comprar do meu próprio bolso”, observa.

O aposentado diz que a prática de esportes é fundamental para manter a doença equilibrada. Procura fazer caminhada e andar de bicicleta toda semana para manter a saúde. “Quando faço exercícios respiro melhor e dá mais disposição”, destaca Barbosa.

Ele diz que as pessoas que tem diabetes precisam seguir a todas as orientações médicas para ter uma vida saudável. Ele classifica a diabetes como uma doença silenciosa e perigosa, mas desde que siga todas as recomendações médicas, a diabetes não atrapalha em nada a rotina. “A pessoa precisa ter muito cuidado para não adquirir a doença. Durmir bem, e ter uma boa alimentação faz parte”, completa o aposentado.

Anúncios

Uma resposta to “Incidência de Diabetes cresce descontroladamente em todo o país”

  1. Regina Borba said

    Parabéns Graciliano!
    Tua matéria falando sobre Diabetes tá muito interessante.
    Tenho certeza que os leitores estão bem orientados sobre a doença.
    Beijão!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: